BACURI

Platonia insignis Mart. (Clusiaceae)

O bacuri é uma árvore da região norte e nordeste, nativa, que atinge até 40 metros de altura. É encontrada nos estados do Pará, Maranhão, Piauí, Goiás, Mato Grosso até o Paraguai.  Movimenta bastante a economia da região pelos frutos que produz. Além dos frutos saborosos e nutritivos, a planta é usada como medicinal e na indústria coméstica.

 

E a ecologia do bacuri?

É uma espécie que perde suas folhas na estação seca, que acontece entre junho e agosto. Nas primeiras chuvas, ocorre a formação dos botões florais e folhas novas. Em agosto é comum as árvores estarem repletas de flores! Um visual lindo, embora estejam lá no alto, pois, lembrando, é uma árvore alta (mas há as mais baixas, ainda em crescimento, ou situadas em locais mais fechados, não sendo possível sua rápida expansão).

As cores das flores variam de rosa pink ao creme, passando por tons intermediários. A antese (veja no post fixado do blog para se lembrar do termo) ocorre durante o dia e leva de 12 a 14 horas para se completar. Ou seja, as flores começam a abrir suas pétalas e só concluem a abertura após passados até 14 horas,  só no dia seguinte. Elas produzem muito pólen, néctar bem docinho para satisfazer seus polinizadores.

FONTE: http://www.procisur.org.uy/adjuntos/procisur_bacuri_a9d.pdf

Essa espécie é autoincompatível. Isso significa que, apesar das flores serem hermafroditas, elas não produzem frutos a partir da autofertilização, necessitando do polinizador para levar o seu pólen ao estigma da outra flor e em outra árvore.

E quem são esses maravilhosos polinizadores? 🤔

São pássaros, das famílias Psittacidae, Coerebidae, Icteridae e Thraupidae. 

Logo após a antese (abertura das flores), esses pássaros voam até as flores e se alimentam de pólen e néctar (os Psittacidae) ou só de néctar no caso dos representantes das outras famílias. Ao se alimentarem, os pássaros ficam com o bico, cabeça e parte do tórax repleto de pólen. Ao visitarem outra flor, eles depositam no estigma desta o pólen trazido da outra flor, polinizando-a.

O legal é que nas regiões neotropicais (ou seja, nas regiões biotropicais das Américas) até então não havia relatos de “periquitos” e sanhaços como polinizadores, sendo o bacuri o primeiro caso por aqui.

Vamos conhecê-los ?

Psittacidae

Marianinha de cabeça amarela – Pionites leucogaster leucogaster

https://www.mascotarios.org/pt/lorito-rubio/

Periquito-da-asa-dourada ou amarela (Brotogeris chrysopterus tuipara)

https://www.youtube.com/watch?v=9swMPmVuCUQ
https://www.flickr.com/photos/59863704@N00/7663978696

Aratinga-de-bando (Aratinga leucophtalmus leucophtalmus)

https://www.mascotarios.org/pt/aratinga-ojiblanca/

Coerabidae

Saí-da-perna-amarela (Cyanerpes caeruleus)

fonte: https://www.wikiaves.com.br/wiki/sai-de-perna-amarela

Icteridae

Japiim-xexéu (Cacicus cela)

fonte:
https://igrejadounaspht.org.br/meditacoes-diarias/meditacoes-diarias-2018/meditacao-diaria-de-21-12-2018-por-flavio-reti/

Thraupidae

Pipira-vermelha (Ramphocelus carbo carbo)

fonte: http://portalmelhoresamigos.com.br/pipira-vermelha-ramphocelus-carbo/

Sanhaçu-azul (Thraupis episcopus episcopus)

fonte: https://casadospassaros.net/sanhaco-azul/

Sanhaço-do-coqueiro (Thraupis palmarum palmarum)

fonte: https://commons.wikimedia.org/wiki/Thraupis_palmarum

Os estudiosos também observaram várias espécies de vespas e abelhas sem ferrão, trigonas, mas não na frequencia suficiente, nem em quantidade para serem identificadas como polinizadoras efetivas.

Portanto, o bacuri é uma espécie ornitófila – polinizada por pássaros. E que lindos!

Saiba mais

CARVALHO, J.E.U.de. e NASCIMENTO, W. M. O. do. 2017. Bacuri. Platonia insignis. Procisur. IICA. http://www.procisur.org.uy/adjuntos/procisur_bacuri_a9d.pdf.

MAUÉS, M.M. e VENTURIERI, G.C. 1996. Ecologia da polinização do bacurizeiro (Platonia insignis Mart.) Clusiaceae. Boletim de Pesquisa no. 170. CPATU. EMBRAPA. https://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/infoteca/bitstream/doc/374450/1/BoletimPesquisa170CPATU.pdf

Publicado por Alexandra Gobatto

Bióloga, Doutora em Ecologia da Polinização e Biologia Reprodutiva.

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: